Gastromed | Série: Mitos sobre o balão intragástrico – Parte 5
 
blank

Série: Mitos sobre o balão intragástrico – Parte 5

A GASTROMED – INSTITUTO ZILBERSTEIN encerra sua série sobre os mitos e verdade envolvendo o balão intragástrico. E no post de hoje:

4º: VERDADE – O emagrecimento ocorre porque o estômago passa a secretar menos hormônio, reduzindo, com isso, o apetite.

Você pode nunca ter ouvido falar da grelina, mas para quem busca perder peso é uma informação importante. Trata-se de um hormônio, que é produzido em grande parte, embora não exclusivamente, pelo estômago e pelo intestino. A grelina exerce uma função importante: estimula a sensação de fome quando o estômago está vazio, assim nos fazendo buscar alimento. 

É fácil entender, portanto, que quando o corpo entende que precisa de comida, libera mais grelina; após as refeições, seus níveis diminuem. Ou seja, o controle de peso passa diretamente pela produção de grelina no corpo. Só que isso não significa que esse processo funcione da maneira correta o tempo todo.

Como sabemos, o corpo se adapta. Quanto mais comemos, mais o corpo irá pedir comida, pois ele irá buscar “sustentar” essa condição. Ou seja, nosso apetite estará desregulado, pedindo comida quando ela não é necessária. Então, engordamos. Além disso, existe uma série de outras situações que provocam desequilíbrio hormonal que podem estimular o aumento do apetite.

Mas afinal, onde o balão intragástrico se encaixa nisso tudo?

Ao ser posicionado no estômago, o balão irá ocupar o espaço que deveria ser da comida. Isso “manda” uma mensagem ao cérebro de que o alimento já chegou, e, portanto, não precisamos mais comer. Assim, o corpo produz menos grelina, facilitando a sensação de saciedade e nos estimulando a comer menos.

É assim que o balão está ligado ao processo hormonal da grelina e do emagrecimento: é uma maneira de “enganar” o cérebro e pedir menos comida.

Quer saber mais sobre os benefícios do balão? Entre em contato com a GASTROMED – INSTITUTO ZILBERSTEIN e agende sua consulta.