Cirurgia de cabeça e pescoço

Também conhecida como Cirurgia Cérvico-facial, a cirurgia de cabeça e pescoço é a especialidade médica voltada para prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação de doenças que afetam a região da face e do pescoço. Nesse sentido, trata, principalmente, tumores benignos e malignos, fossas nasais, seios paranasais, boca, faringe, laringe, tireoide, glândulas salivares, tecidos moles do pescoço e alterações no couro cabeludo, entre outros.

 

Como funciona o tratamento?

 

A cirurgia de cabeça e pescoço tem três grandes objetivos: cura, reabilitação funcional e o melhor resultado estético. Muitas vezes, o tratamento de problemas nessas regiões envolve um trabalho conjunto com outras especialidades como, por exemplo, endocrinologia, otorrinolaringologia, cirurgia do aparelho digestivo, oncologia e cirurgia plástica.

 

As principais cirurgias realizadas na região da cabeça e do pescoço incluem:

 

  • Tireoidectomia: consiste na remoção parcial ou total da tiroide com dissecção e preservação das paratireoides, do nervo laríngeo inferior e do ramo externo do nervo laríngeo superior. O procedimento pode ser realizado devido a doenças benignas ou oncológicas como, por exemplo, o câncer de tireoide;

 

  • Paratireoidectomia: é um procedimento realizado em casos de hiperparatireoidismo, sendo necessária uma dissecção cirúrgica delicada e a preservação das demais estruturas citadas no tópico anterior;

 

  • Esvaziamento cervical: feita em casos de doença oncológica, a linfanedectomia cirúrgica complementa o tratamento do câncer nas áreas da cabeça e do pescoço. É um procedimento de grande porte que abrange a dissecção de sub-regiões do pescoço, o que exige vasto conhecimento e habilidade por parte do cirurgião;

 

  • Cricotireoidostomia e traqueostomia: são procedimentos realizados quando há dificuldade de permitir uma respiração normal, necessitando de abordagem cirúrgica através do pescoço com dissecção da traqueia;

 

  • Laringectomia: é uma técnica cirúrgica utilizada no tratamento de doenças malignas e benignas da laringe. Pode ser aberta, endoscópica (com robô) ou em acessos combinados. Além disso, o procedimento pode ser total ou parcial, quando preserva a unidade funcional da laringe e evita, quando possível, a necessidade de traqueostomia permanente;

 

  • Maxilectomia: cirurgia que tem o objetivo de tratar tumores maxilares e nos seios paranasais, normalmente malignos.

Contato