A cirurgia bariátrica melhora ou cura doenças graves

A obesidade é uma doença considerada crônica e multifatorial. É uma das grandes pandemias dos séculos XX e XXI, e que permanece sendo um problema principalmente devido ao modo de vida das pessoas: Embora existam diversas causas para a obesidade, os principais fatores para ela ainda são o sedentarismo e a rica oferta de alimentos cheios de gordura e sódio e pobres nutricionalmente.

Um dos principais problemas relacionados a essa doença é que ela funciona como um “efeito-cascata”: Quanto mais obesa a pessoa se torna, mais difícil fica reverter o quadro. Entretanto, existem alternativas de tratamento para essa doença. A mais popular talvez seja a cirurgia bariátrica.

Como se sabe, a bariátrica é realizada através de uma incisão abdominal, onde o estômago é reduzido através de uma gastroplastia – ou seja, é retirada uma parte do órgão, que então é suturado. O objetivo é restringir a capacidade do paciente de ingerir e reter alimentos no estômago, promovendo o processo de emagrecimento.

Um argumento comum a favor da cirurgia bariátrica é que, além da própria obesidade, ela também ajuda a curar outras doenças graves. Mas muitos pacientes não sabem se essa informação é verdade ou não.

A resposta é: Indiretamente, sim. Como dissemos acima, a obesidade funciona como um “efeito-cascata”. Conforme a pessoa ganha peso, o corpo vai entrando em colapso, gerando sérias comorbidades relacionadas à outras doenças, como problemas cardiovasculares e respiratórios, musculoesqueléticos, diabetes e hipertensão. Todas doenças que, devido ao estado fragilizado do corpo devido à obesidade, podem até mesmo ser fatais.

Ao reverter o quadro de obesidade através da cirurgia bariátrica, o paciente também tem a oportunidade de prevenir essas doenças ou mesmo iniciar o processo de cura delas, além de obter uma melhora substancial em sua qualidade de vida. Portanto, mesmo que a bariátrica não especificamente cure essas doenças, ela permite ao paciente a oportunidade de reverter o quadro agravante que as provoca.

É essencial apontar, entretanto, que a bariátrica em si também não é uma solução única. Após a cirurgia, é preciso o acompanhamento de uma série de profissionais, incluindo nutricionistas e psicólogos, para adaptar o paciente ao seu novo corpo e nova realidade. Caso contrário, existe a possibilidade de o problema ressurgir.

Quer saber mais sobre obesidade? Fale com os especialistas. Entre em contato com a GASTROMED e agende sua consulta.