Gastromed | 10 coisas que você precisa saber sobre Cirurgia Bariátrica
 
blank

10 coisas que você precisa saber sobre Cirurgia Bariátrica

Muitas pessoas ainda têm bastante dúvidas sobre a cirurgia bariátrica. Como ela tem se tornado bastante popular por conta da alta taxa da obesidade ao redor do mundo, algumas informações nem sempre são claras para o grande público.

Por isso, a GASTROMED – Instituto Zilberstein gostaria de esclarecer algumas das perguntas mais frequentes sobre esse procedimento. Confira:

1 – A cirurgia bariátrica não serve para todos. É uma cirurgia muito eficiente mas requer cuidados específicos. Para sua recuperação é necessário um acompanhamento rigoroso com a equipe multidisciplinar.

2 – Existem três tipos básicos de cirurgias bariátricas: restritivas, mistas e disabsortivas. No entanto, todas elas funcionam através do mesmo princípio básico, limitando a capacidade do estômago de receber comida. Isso pode acontecer tanto por diminuição do estômago quanto por um desvio intestinal.

3 – Pelo motivo acima, o procedimento também conhecido como “gastroplastia” já que, na prática, trata-se de uma alteração na forma “original” do órgão. Como toda cirurgia, o corpo precisa de tempo e de cuidados adequados para se adaptar à nova forma.

4 – Essa adaptação também é psicológica. Na prática, pacientes que se submetem à bariátrica precisarão ser acompanhados sempre, tanto pelo médico responsável e um nutricionista quanto por um psicólogo. Uma das coisas mais difíceis – e um perigo potencial de se perder o efeito da cirurgia – é que a gastroplastia não muda a relação do paciente com a comida. Por isso, ele precisa de orientação nesse sentido.

5 – Isso não significa que o paciente tenha que abandonar alguns alimentos específicos. O problema, em geral e salvo exceções, não está no que se come, mas em como e quanto se come. Por isso, a reeducação alimentar é importante: Além de outros benefícios, manter a possibilidade de comer as coisas que se gosta, apenas com maior moderação.

6 – Ainda sobre benefícios, a cirurgia bariátrica serve também como uma contenção das doenças geradas pela obesidade. A obesidade funciona como um “efeito-cascata”: Quanto mais obeso, mais problemas surgem, e mais difícil fica reverter o quadro. A cirurgia bariátrica interrompe esse processo, e permite ao paciente iniciar processos de cura. No entanto, deve ficar claro que a operação em si soluciona apenas o problema do peso.

7 – Realizar uma cirurgia bariátrica não é como muitos outros procedimentos de cirurgias plásticas, e não é realizada de forma casual ou emergencial. Devido à condição de saúde muitas vezes delicada do paciente, é preciso realizar uma bateria longa de exames para garantir que o paciente realmente tem condições de passar pelo procedimento. E, mesmo decidindo pela cirurgia, o médico ainda exigirá um longo período de preparação do paciente.

8 – A cirurgia, apesar de eficiente, pode ter complicações. Embora ela seja segura, muito do seu sucesso depende do comprometimento e do conhecimento do paciente das exigências da cirurgia. Desta forma, além das orientações técnicas, o acompanhamento médico, nutricional, psicológico e o apoio da família são aconselháveis em todas as fases do processo.

9 – Uma pergunta comum é sobre a estética do corpo pós-cirurgia. E a verdade é que, frequentemente, é necessária uma cirurgia plástica para retirar o excesso de pele. Normalmente, ela é realizada apenas quando a perda de peso está realmente estabilizada.

10 – A cirurgia bariátrica também impõe algumas limitações para a gravidez. Por isso, mulheres gestantes ou que pretendem engravidar devem conversar com seu médico antes de tomar qualquer decisão. A cirurgia bariátrica não impede a gravidez e muito pelo contrário permite uma gravidez segura, porem deve-se evitar engravidar logo após a operação

Para maiores dúvidas, entre em contato com os profissionais da GASTROMED – Instituto Zilberstein e agende sua consulta.