All fields are required.

Close Appointment form

JAQUES MENDEL RECHTER

icon
JAQUES MENDEL RECHTER

“Bastante motivado após cirurgia, muda estilo de vida”

 

    jaques_mendel_rechter

  1. Conte para nós um pouco de seu histórico até chegar à cirurgia.

    Desde pequeno era obeso. Sou da geração em que gordura era sinal de saúde. Este conceito vinha de nossos avós e bisavós, principalmente os de origem européia, como os meus. Ao longo de minha vida sempre engordava e emagrecia… mas nunca tinha deixado de ser obeso. Aí um dia cheguei a um ponto onde com todos aqueles problemas emocionais, estruturais… enfim, que todo gordo conhece, cheguei à obesidade mórbida. Mas, graças a D´us, a tempo, tomei a decisão de operar e eliminar o problema de vez pois eu já estava com hipertensão, diabetes acelerada… inclusive, um dia acordei e levei um grande susto pois não enxergava mais nada, já que o diabetes estava muito alto. Foi aí que vi que gostava de mim e que desejava mudar de vida. Decidi buscar ajuda com o professor Bruno.

  2. Como conheceu o Prof. Dr. Bruno?

    Através de uma série de indicações muito positivas que tive dele. Ele me recebeu na Gastromed de braços abertos, inclusive com recomendação do Dr. David Neto, que é meu clínico geral.

  3. Quanto pesava no momento da cirurgia?

    Olha, minha balança lá de casa é meio maluca e discorda da do professor Bruno (risos)… mas, na de casa, antes de ir ao hospital, estava marcado 147 Kg. Hoje de manhã (dia 20 de outubro, dia da entrevista), pesei, nesta mesma balança, 118 Kg.

  4. Há quanto tempo fez a cirurgia?

    Há 4 meses.

  5. Como foi seu pós operatório?

    O meu foi tranqüilo, sem problema algum. Apesar da hipertensão, todos os outros dados estavam em ordem; a diabetes estava controlada por medicação, por exemplo. Entrei num dia e, no mesmo dia, à tarde, já queria ir embora, pois não sentia nada. Não me deixaram. Porém, no outro dia cedinho fui para casa.

  6. E como foi sua relação com a comida no primeiro mês pós cirurgia?

    Consegui não sentir fome durante este primeiro mês, foi fácil (ao contrário do que imaginava inicialmente) fazer a dieta de líquidos. Para mim foi um pós operatório maravilhoso, mas isto varia de pessoa para pessoa.

  7. Você submeteu-se a acompanhamento psicológico e nutricional?

    Eu já fazia, havia 7 anos, terapia antes da cirurgia. A obesidade mórbida tinha certa relação com alguns problemas que fui equacionando, até chegar ao ponto em que senti que, por gostar de mim, deveria fazer esta cirurgia. No meu caso, em particular, foi decisivo o acompanhamento da Dra. Denise (nutricionista da equipe multidisciplinar da Clínica Gastromed) pois ela me abriu um outro horizonte que eu não conhecia. Eu não entendia direito o que era nutrir-se bem, o que era caloria, a divisão de carboidratos, proteínas etc. Adorei a abordagem que deu, que é bem diferente do que se ouve por aí, da boca dos leigos. No meu caso, ajudou muito! Inclusive, estou mudando também os hábitos alimentares de toda a minha família por conta das informações que recebi dela.

  8. Como está seu quadro de saúde atualmente? Como ficou a diabetes, a hipertensão e as outras complicações que tinha decorrente da obesidade severa?

    A diabetes desapareceu em um mês; em relação à hipertensão, estou diminuindo a quantidade de medicamento para controlá-la. Meu quadro, em geral, é bem melhor. Já consigo, por exemplo, dormir melhor, respirar melhor. Comecei a freqüentar academia de ginástica – coisa que não fazia antes. Estou começando a sentir aquele prazer que os atletas sentem ao se exercitarem. Está tudo melhor… inclusive para o bolso… (risos) pois estou economizando em roupas. Na verdade, em vez de reciclar, descobri uma costureira mágica que consegue apertar e ajustá-las. Só que estou chegando a um ponto em que não dá mais para apertar, deverei comprar mesmo novas roupas pois estou emagrecendo, graças a D´us. Agora posso entrar em uma loja normal e pegar o tamanho extragrande que ele me serve tranqüilamente. Você não sabe o quão gratificante é. Dá para aproveitar as promoções das lojas (risos). Não preciso mais gastar uma nota brava em roupa especial pois gordo também sofre neste aspecto. A roupa para gordo é caríssima. Agora quero curtir à vida. Vamos a ela!!!


Related Posts